Diminuir tamanho da fonteAumentar tamanho da fonte

O Encontro de Avaliação da Cáritas Piauí aconteceu no último fim de semana

12 de dezembro de 2018
img_8450

img_8325 img_8324 img_8320 img_8318 img_8450 img_8336 img_8370 img_8408 img_8404 img_8401 img_8386

A Cáritas Regional do Piauí realizou o Encontro Regional de Avaliação e Assembleia Descentralizada da Cáritas Brasileira, nos dias 7 e 8 de novembro, no Centro Guadalupe, em Teresina(PI). O evento começou com uma mística de abertura conduzida pela agente Cáritas, Dorinha, que fez uma leitura do evangelho, o qual falava sobre os cegos, e a partir daí seguiu-se uma série de reflexões sobre o que é estar cego e quando somos cegos?

Quando somos individualistas, quando não cuidamos das amizades, quando valorizamos mais as coisas que as pessoas, quando fechamos os olhos para as injustiças. A nossa missão tem como base a fé, nós fazemos pelo outro, mas também para cada um, a reflexão é sobretudo a fé que nos traz esperança”, essas foram algumas falas das pessoas presentes.

Dom Edivalter, bispo referencial da Cáritas Regional, que se fez presente no primeiro dia do Encontro, deu a bênção inicial e desejou um feliz Encontro para todos.

Célia Araújo, da colegiada da Cáritas Regional, apresentou a programação do Encontro e Adonias Moura, secretário regional, fez algumas observações acerca da Assembleia Descentralizada, com apresentação dos balancetes financeiros da Cáritas Nacional.

Em seguida, foi feito uma análise de conjuntura – Desafios e Perspectivas na Rede Cáritas Nacional e Regional no contexto atual, pelo professor Gisvaldo Oliveira, da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Leon Patrick, do secretaria nacional da Cáritas e Carlos Humberto Campos, assessor da Cáritas Regional Piauí.

Carlos Humberto começou a análise falando sobre o momento de escuridão que paira sobre o Brasil, e apresentando os dois analistas de conjuntura.

O professor Gisvaldo, falou do seu percurso de militância nos movimentos estudantis e agora no movimento sindical. “Estamos vivenciando uma crise política, social e econômica. Crise do sistema capitalista em escala mundial. Vai aumentar a coerção aos movimentos. O que fazer? Como estamos? Estamos numa situação defensiva, porque estamos lutando para não perder direitos, não para avançar, e estamos fragilizados. Tudo está sendo aprovado e a resistência não está à altura para barrar os planos de austeridade. Precisamos reaprender, fazer unidades de ação, todos devem se unir dentro do que é comum para enfrentar o capital. O ataque é unificado, e nós precisamos unificar forças para vencer algumas batalhas”.

Leon Patrick continuou a análise, confirmando o que Gisvaldo falou, e trouxe dois verbos: poder e deslocar. “Nos últimos anos nós fomos demonizando o poder, mas ele vem de uma raiz, o que nós podemos, que poderes temos, o poder é bom e precisamos entender o que temos. É difícil olhar e perceber que dois militares voltam ao poder pelo voto democrático. A ascensão de Bolsonaro não é somente pela moral, uma ditadura diferente, construída no silêncio, cristandade evangélica protestante, o poder das mídias deve ser observado. Momento de deslocamento, existe um mal-estar que paira no ar, precisamos reacender a esperança, olhar para todos, olhar para trás, para os lados, deslocar o olhar habitual, e isso é um desafio para a Cáritas”.

Refletindo a análise de conjuntura, Adonias falou, “estamos vivendo em um cenário que a gente não consegue ver esperança, mas precisamos estar nas bases, mesmo com os desafios de mudanças nessas bases, como formar opiniões levando em consideração toda as mudanças ocorridas, precisamos nos reinventar”.

Adonias continuou com a apresentação da avaliação das dimensões dos espaços auxiliares de gestão, a II Jornada Mundial dos Pobres e o Projeto dez milhões de estrelas.

Foram feitas as apresentações do PMAS – (avaliações) do Regional e das entidades membros em níveis diocesanos.

A assembleia descentralizada foi realizada na parte da tarde, com apresentação de Adonias em todo o processo de assembleia. Leon Patrick apresentou o balancete da Cáritas Brasileira e Célia Araújo apresentou o balancete da Cáritas Regional.

Á noite aconteceu um jantar de confraternização para todos, antes do jantar ser servido, Leon Patrick conduziu a oração da paz feita por todos e cada pessoa acendeu a vela da paz, simbolizando as 10 milhões de estrelas que estarão acesas na noite de natal. Em seguida teve música ao vivo e distribuição de presentes.

Estamos muito felizes com a realização do Encontro de Avaliação e a nossa confraternização, juntamente com os nossos amigos de luta, agentes Cáritas, representantes das comunidades assistidas, nosso bispo referencial e o assessor da Cáritas Nacional. Na esperança de que as nossas atividades sejam realizadas com muito amor, dedicação e solidariedade no próximo ano, sempre a favor do bem comum para todos”, expressou Adonias, secretário regional.

ASCOM_Cáritas(PI)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Seja um Doador

Seja um Doador

Cáritas: Rumo aos 60 anos

Faça parte dessa rede

Faça parte dessa rede

Faça parte desta Rede

Faça parte desta Rede

Redes Sociais

Prestação de Contas

Prestação de Contas

Contato

Cáritas Piauí
Rua Agnelo Pereira da Silva, 3136
São João, Cep. 64.045-440


Teresina - Piauí
86-3233-6302 / 86-98802-5479(oi)

caritaspi@caritas.org.br